Alienum phaedrum torquatos nec eu, vis detraxit periculis ex, nihil expetendis in mei. Mei an pericula euripidis, hinc partem.
+351 21 136 1503
info@iskcon.pt
Rua Dona Estefánia, 91.
Lisboa, Portugal.

Quem é Krishna?

Em sânscrito Krishna quer dizer o Supremamente Fascinante ou Atraente, pois todos são atraídos pela Fonte Última de tudo, directa ou indirectamente. De acordo com o acharyas precedentes, Sri Krishna esteve neste planeta há mais de 5.000 anos, tendo falado o Bhagavad Gita, o mais famoso tratado de Yoga e Auto Realização que se conhece.

Existem provas históricas e arqueológicas da passagem de Krishna por este planeta.

Krishna não é um “deus” da mitologia Hindu, mas a Suprema Verdade Absoluta.

“aham bija-pradah pita”(eu sou o pai que dá a semente a todos os seres vivos). Os Vedas (antigos textos em sânscrito) preconizam a prática da meditação (Yoga) para a evolução espiritual, libertando a pessoa das ansiedades, da angústia, da depressão, do medo, etc. A meditação mântrica é simples e fácil. Mantra quer dizer : Man (mente) e Tra (libertação), ou seja, a libertação da mente.

Quem é o Senhor Caitanya?

Como o Senhor Chaitanya, Krishna assumiu a mentalidade e a aparência do Seu devoto mais querido, Sua consorte Radharani, e ensinou como através do canto congregacional dos nomes do Senhor, especialmente na forma do mantra Hare Krishna, nós podemos despertar nosso amor adormecido por Deus. O Senhor Chaitanya concede a maior bênção, amor por Deus, a todo mundo sem consideração, e assim Ele é louvado pelo santo Vaishnava Rupa Goswami como a mais muni cente de todas as encarnações do Senhor.

Devotos da linha de Vaishnavismo Gaudiya (da qual faz parte a ISKCON), aceitam o Senhor Chaitanya como sendo não diferente do próprio Senhor Krishna e O adoram de acordo. Os devotos primeiro oram ao Senhor Chaitanya antes de adorar o Senhor Krishna para mitigar suas ofensas, usando o mantra do Pancha-tattwa:

jaya sri krishna chaitanya, prabhu nityananda,
sri advaita, gadadhara, srivasadi gaura bhakta vrinda

O Senhor Chaitanya foi ajudado pelos Seus associados mais íntimos, o Panca-tattwa que inclui o Senhor Nityananda e Advaita Acharya, também encarnações do Senhor, e Gadadhara, a encarnação da potência de prazer espiritual do Senhor, e Srivasa Thakura, encarnação do devoto puro do Senhor.

O Senhor Chaitanya apareceu em Mayapur, onde é agora a Bengala Ocidental, no ano 1486 em uma família de brahmanas e era de fato um estudante em Sua mocidade. Entretanto, depois que Ele conheceu Seu guru, Isvara Puri, em Gaya, Se interessou apenas por devoção a Krishna e pelos festivais organizados por muitos devotos tocando instrumentos musicais e cantando os nomes de Krishna nas ruas. Este canto congregacional dos nomes do Senhor, Ele ensinou, é a bênção principal para a humanidade, pois limpa nossos corações dos desejos materiais, e nos permite provar o néctar pelo o qual nós estamos sempre completamente ansiosos, o néctar eterno do amor a Deus. Para executar Sua missão, Ele aceitou a ordem renunciada de vida, sannyasa, na idade de vinte e quatro anos. Em seguida, Ele viajou ao longo do sul da Índia e inspirou devoção a Krishna em todo mundo que O via. Durante os últimos dezoito anos dos Seus passatempos manifestos neste mundo, Ele viveu em Jagannath Puri com os Seus seguidores íntimos e demonstrou os limites mais elevados de amor a Deus. O Senhor Chaitanya voltou ao mundo espiritual com a idade de quarenta e oito anos.

O Senhor Chaitanya ensinou que como almas espirituais nós somos partes de Deus e assim somos unos com Ele em qualidade, e ainda ao mesmo tempo também somos diferentes d’Ele em quantidade. Isto é chamado acintya- bheda-abheda-tattva, igualdade e diferença simultâneas inconcebíveis. Portanto, nossa posição constitucional é servir ao Senhor com afeição, e nosso amor por Ele pode ser invocado cantando-se Seus nomes e cultivando as qualidades de tolerância e humildade. Despertar nosso amor por Deus, ou Krishna-prema, é a meta última da vida e nos satisfará completamente. O Senhor Chaitanya deixou oito versos, chamados o Shikshashtaka que resumem Seus ensinamentos. E por Sua instrução, Seus principais discípulos escreveram muitos livros, com referências copiosas das escrituras védicas, con rmando Seus ensinamentos.

O que são os Vedas?

A palavra VEDA quer dizer CONHECIMENTO.

No mundo moderno usamos o termo “ciência” para identi car o tipo de conhecimento autorizado sobre o qual o progresso humano está baseado. Para a civilização milenar de Bharata-varsha ( Grande India ) a palavra VEDA tinha um signi cado mais profundo que a palavra ciência tem para o homem moderno.

Isto porque naqueles dias a pesquisa cientí ca não estava restringida ao mundo percebido pelos sentidos físicos, nem o progresso humano era visto como a exploração massiva dos recursos da natureza material.

O foco principal da literatura Védica é o permanente – SAT, não o transitório – ASAT.

As quatro escolas filosóficas da Índia antiga

Existem quatro escolas filosóficas (sampradayas), correntes de sucessão discipular, que descendem de importantes acharyas, guias espirituais.

As escolas de Sri Ramanuja, Madhavacharya, Vishnuswami e Nimbarka Swami, os principais expoentes losó cos destas quatro tradições, de nem a Verdade Absoluta em termos pessoais.

Estes mentores espirituais, bem como seus seguidores, apresentaram exaustivamente argumentos que dissipam o sentido de limitação mundana associado ao termo “PESSOA” quando nos referimos à Verdade Absoluta.