Alienum phaedrum torquatos nec eu, vis detraxit periculis ex, nihil expetendis in mei. Mei an pericula euripidis, hinc partem.
+351 21 136 1503
info.aick@iskcon.pt
Rua Dona Estefánia, 91.
Lisboa, Portugal.

Quem é Krishna?

Em sânscrito Krishna quer dizer o Supremamente Fascinante ou Atraente, pois todos são atraídos pela Fonte Última de tudo, directa ou indirectamente. Sri Krishna esteve neste planeta há 5.000 anos, tendo falado o Bhagavad Gita, o mais famoso tratado de Yoga e Auto Realização que se conhece.

Existem provas históricas e arqueológicas da passagem de Krishna por este planeta.

Krishna não é um “deus” da mitologia Hindu, mas a Suprema Verdade Absoluta.

Ele mesmo declara no Gita: “aham bija-pradah pita”(eu sou o pai que dá a semente a todos os seres vivos). Os Vedas (antigos textos em sânscrito) preconizam a prática da meditação (Yoga) para a evolução espiritual, libertando a pessoa das ansiedades, da angústia, da depressão, do medo, etc. A meditação mântrica é simples e fácil. Mantra quer dizer : Man (mente) e Tra (libertação), ou seja, a libertação da mente.

Quem é o Senhor Caitanya?

Quando o Senhor Krishna apareceu aproximadamente há cinco mil anos atrás, Ele falou o Bhagavad-gita para dizer às pessoas que se rendam a Ele, e Ele lhes prometeu proteção das reações kármicas de suas atividades. Infelizmente, nem todo mundo aceitou Sua oferta. Assim, sentindo compaixão para com eles, Krishna decidiu vir novamente quinhentos anos atrás, desta vez em uma forma chamada de Sri Krishna Chaitanya. Ele agiu como devoto e ensinou através do exemplo como se render a Krishna.

Como o Senhor Chaitanya, Krishna assumiu a mentalidade e a aparência do Seu devoto mais querido, Sua consorte Radharani, e ensinou como através do canto congregacional dos nomes do Senhor, especialmente na forma do mantra Hare Krishna, nós podemos despertar nosso amor adormecido por Deus. O Senhor Chaitanya concede a maior bênção, amor por Deus, a todo mundo sem consideração, e assim Ele é louvado pelo santo Vaishnava Rupa Goswami como a mais muni cente de todas as encarnações do Senhor.

Devotos da linha de Vaishnavismo Gaudiya (da qual faz parte a ISKCON), aceitam o Senhor Chaitanya como sendo não diferente do próprio Senhor Krishna e O adoram de acordo. Por ser a mais muni cente de todas as encarnações do Senhor, os devotos primeiro oram ao Senhor Chaitanya antes de adorar o Senhor Krishna para mitigar suas ofensas, usando o mantra do Pancha-tattwa:

jaya sri krishna chaitanya, prabhu nityananda,
sri advaita, gadadhara, srivasadi gaura bhakta vrinda

O Senhor Chaitanya foi ajudado pelos Seus associados mais íntimos, o Panca-tattwa que inclui o Senhor Nityananda e Advaita Acharya, também encarnações do Senhor, e Gadadhara, a encarnação da potência de prazer espiritual do Senhor, e Srivasa Thakura, encarnação do devoto puro do Senhor.

O Senhor Chaitanya apareceu em Mayapur, onde é agora a Bengala Ocidental, no ano 1486 em uma família de brahmanas e era de fato um estudante em Sua mocidade. Entretanto, depois que Ele conheceu Seu guru, Isvara Puri, em Gaya, Se interessou apenas por devoção a Krishna e pelos festivais organizados por muitos devotos tocando instrumentos musicais e cantando os nomes de Krishna nas ruas. Este canto congregacional dos nomes do Senhor, Ele ensinou, é a bênção principal para a humanidade, pois limpa nossos corações dos desejos materiais, e nos permite provar o néctar pelo o qual nós estamos sempre completamente ansiosos, o néctar eterno do amor a Deus. Para executar Sua missão, Ele aceitou a ordem renunciada de vida, sannyasa, na idade de vinte e quatro anos. Em seguida, Ele viajou ao longo do sul da Índia e inspirou devoção a Krishna em todo mundo que O via. Durante os últimos dezoito anos dos Seus passatempos manifestos neste mundo, Ele viveu em Jagannath Puri com os Seus seguidores íntimos e demonstrou os limites mais elevados de amor a Deus. O Senhor Chaitanya voltou ao mundo espiritual com a idade de quarenta e oito anos.

O Senhor Chaitanya ensinou que como almas espirituais nós somos partes de Deus e assim somos unos com Ele em qualidade, e ainda ao mesmo tempo também somos diferentes d’Ele em quantidade. Isto é chamado acintya- bheda-abheda-tattva, igualdade e diferença simultâneas inconcebíveis. Portanto, nossa posição constitucional é servir ao Senhor com afeição, e nosso amor por Ele pode ser invocado cantando-se Seus nomes e cultivando as qualidades de tolerância e humildade. Despertar nosso amor por Deus, ou Krishna-prema, é a meta última da vida e nos satisfará completamente. O Senhor Chaitanya deixou oito versos, chamados o Shikshashtaka que resumem Seus ensinamentos. E por Sua instrução, Seus principais discípulos escreveram muitos livros, com referências copiosas das escrituras védicas, con rmando Seus ensinamentos.

O que são os Vedas?

A palavra VEDA quer dizer CONHECIMENTO.

No mundo moderno usamos o termo “ciência” para identi car o tipo de conhecimento autorizado sobre o qual o progresso humano está baseado. Para a civilização milenar de Bharata-varsha ( Grande India ) a palavra VEDA tinha um signi cado mais profundo que a palavra ciência tem para o homem moderno.

Isto porque naqueles dias a pesquisa cientí ca não estava restringida ao mundo percebido pelos sentidos físicos, nem o progresso humano era visto como a exploração massiva dos recursos da natureza material.

O foco principal da literatura Védica é o permanente – SAT, não o transitório – ASAT.

As quatro escolas filosóficas da Índia antiga

Existem quatro escolas filosóficas (sampradayas), correntes de sucessão discipular, que descendem de importantes acharyas, guias espirituais.

As escolas de Sri Ramanuja, Madhavacharya, Vishnuswami e Nimbarka Swami, os principais expoentes losó cos destas quatro tradições, de nem a Verdade Absoluta em termos pessoais.

Estes mentores espirituais, bem como seus seguidores, apresentaram exaustivamente argumentos que dissipam o sentido de limitação mundana associado ao termo “PESSOA” quando nos referimos à Verdade Absoluta.